domingo, 6 de setembro de 2015

A Sociedade Multicultural

Frase de Jacques Chirac



O pós-charlie resultou nesta situação(quem se lembra ainda?)

Voltando a 2011 


doutrina do multiculturalismo - BBC.com

www.bbc.com/.../02/110205_cameron_isla_jf.shtml

5 févr. 2011 - Premiê britânico diz que 'doutrina do multiculturalismofalhou ... O discurso ecoa declaração da chanceler alemã, Angela Merkel, em outubro de 2010 : 
Em uma reunião com as lideranças jovens seu partido –  a União Democrata Cristã (CDU) -, Merkel disse que a ideia de pessoas de origens culturais diferentes vivendo lado a lado pacificamente não está funcionando na Alemanha.

O ex-presidente checo Vaclav Klaus, eurocético, anunciou ter lançado este sábado(05-09-2015) uma petição contra a imigração, apelando ao Governo do país para “garantir a intangibilidade da fronteira” e “rejeitar as quotas” de distribuição dos migrantes defendidas pela Comissão Europeia.

“Nós (signatários da petição) não somos indiferentes ao sofrimento de milhares de pessoas provocado pelas guerras e outras catástrofes, mas opomo-nos à manipulação da opinião pública pela criação de um falso sentimento de solidariedade com esses migrantes”, afirmou Klaus à imprensa em Lysa-nad-Labem, perto de Praga.
Segundo Klaus, logo nos primeiros 20 minutos, uma centena de pessoas assinou a petição iniciada na internet (www.protiimigraci.cz).
“A imigração maciça representa uma enorme ameaça para a estabilidade da Europa e dos países membros da União Europeia”, indica o texto, que alerta para os “riscos e ameaças decorrentes de uma mistura artificial de nações, culturas e religiões díspares”.
“É inaceitável que as regras do espaço Schengen sejam violadas, sob o rótulo da União Europeia mas, sobretudo, sob a pressão da Alemanha e da França, e que esses países, que se esforçam por respeitar essas regras – por exemplo a Hungria – sejam ameaçados com sanções da UE”, lê-se na petição.
O texto apela ao Governo checo para “garantir a segurança interna e a intangibilidade da fronteira do país por todos os meios disponíveis”, “não aceitar ao nível da UE qualquer quota ou medida semelhante de repartição dos migrantes” e “insistir no respeito dos acordos em vigor em matéria de política de asilo”.
Chefe de Estado checo entre 2003 e 2013, Vaclav Klaus, de 74 anos, tinha já esta semana declarado que a Europa estava a cometer “um suicídio” ao acolher os migrantes, atacando o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Laurent Fabius, que classificou recentemente como “escandalosa” a atitude de alguns países da Europa de Leste em relação aos migrantes procedentes de África e do Médio Oriente que fogem à fome e à guerra nos seus países.

Marxismo Cultural: Marxismo e o capitalismo: juntos a ...

omarxismocultural.blogspot.com/.../marxismo-e-o-capitalismo-juntos.ht...

 - Marxismo e o capitalismojuntos a promover a imigração em massa.

6 comentários:

  1. Os fantoches políticos europeus(socialistas e liberais-capitalistas etc)já abriram as portas ao caos desde 1980(pelo menos)daí que a identidade cultural de vários países se resuma ao futebol e shopping center.Esta onda/maré de migrantes/refugiados será mais um passo na agenda do multiculturalismo(esquerdismo)e da economia dos baixos salários(neoliberalismo).Claro que tudo feito em nome do "humanismo" e de outras tiradas para emocionar e ludibriar os incautos em geral.

    ResponderEliminar
  2. Os políticos europeus são fantoches do grande poder(bilderberg e afins que se reunem em hotéis de luxo em segredo)que quer fazer o caos geral(já fizeram lá no oriente médio)para melhor controlarem os povos e criarem a sociedade global onde não tem mais pátria nem cultura nem nada.Parecem agora muito preocupados com os migrantes/refugiados(não pensaram nisso quando se calaram perante guerras injustas fomentadas pelos zio-americanos)quando andam desde 2011 a castigar seus próprios cidadãos.A insanidade tomou conta do mundo.

    E os esquerdistas(marxistas ou não)contribuem para essa agenda com suas irracionalidades pseudo-humanistas que não servem a ninguém quando tudo estiver em caos(repare no absurdo,ao mesmo tempo que dizem ser defensores dos trabalhadores e pobres promovem a "invasão" de migrantes os quais vão ajudar o grande capital e a Merkel a manter o status quo).Mas acha que eles querem saber disso?Não me parece.

    ResponderEliminar
  3. Atenção a este post http://spectareveritas.blogspot.pt/2014/12/socialismo-fabiano-lobos-em-pele-de.html

    ResponderEliminar
  4. check https://fabiansociety.wordpress.com/

    ResponderEliminar
  5. Quando Karl Marx escreveu o “Manifesto Comunista” (séc. 19), ficou bem claro que ideologia que nascia assentava em duas vertentes básicas: O Marxismo Económico, que defende a ideia de que a História é determinada pela propriedade dos meios de produção, e o Marxismo Cultural, que defende a ideia de que a História é determinada pelo Poder através do qual, grupos sociais (para além das classes sociais) definidos pela raça, sexo, etc., assumem o poder sobre outros grupos. Até à I Guerra Mundial, o Marxismo Cultural não mereceu muita atenção, que se concentrou praticamente toda no Marxismo Económico, que deu origem à revolução bolchevista (URSS).

    O Marxismo Cultural é uma sub-ideologia do Marxismo (a “outra face da moeda” é o marxismo económico), e como todas as ideologias, tende inexoravelmente para a implantação de uma ditadura, isto é, para o totalitarismo.

    ResponderEliminar
  6. check https://esquerdopatia.blogspot.pt/2012/11/o-que-e-esquerdopatia.html?showComment=1474563593844

    ResponderEliminar